fbpx

Como gerenciar o ciclo de vida dos dispositivos IoT?

ciclo de vida iot

28 de junho de 2022

Essa rede gigante de coisas e pessoas conectadas – todas coletando e compartilhando dados sobre a maneira como são usadas e sobre o ambiente ao seu redor é reconhecida como IoT, sigla para Internet das Coisas.

Se você deseja aumentar o desempenho e a rotatividade dos dispositivos IoT que você possui em casa ou na sua organização, deve se concentrar na ideia de gerenciamento do ciclo de vida desses aparelhos.

Para isso, reunimos neste conteúdo algumas informações que vão ajudá-lo a entender como adquirir os tipos de dispositivos que você precisa, quanto tempo esperar que eles durem e quando eles devem ser substituídos. Confira!

Como identificar um dispositivo IoT?

Nos dias de hoje, quando se trata de conectividade, temos muitos recursos e soluções disponíveis, e grande parte deles fazem parte do nosso cotidiano. Temos itens que vão desde um Smartwatch, que otimiza as funções de um celular e auxilia em atividades físicas, à casas inteligentes, um ambiente inteiramente gerenciado pela tecnologia.

A IoT refere-se aos bilhões de dispositivos físicos com sensores integrados que, conectados a uma plataforma que integra dados de diferentes dispositivos, aplica análises para compartilhar as informações mais valiosas com aplicativos criados para atender a necessidades específicas.

Esses dispositivos são identificados porque apresentam tanto possuir conexão com a internet, como também a possibilidade da troca de informações importantes acerca das tarefas com demais aparelhos.

E qual o tempo do ciclo de vida desses dispositivos?

O ciclo de vida do dispositivo IoT é um conceito que assume que estes aparelhos, por serem peças de tecnologia bastante avançadas, levam suas vidas eletrônicas inteligentes que podem ser divididas e identificados como início, meio e fim de vida:

  • durante o início, o dispositivo pode ser pré-configurado, mas geralmente possui apenas alguns esquemas genéricos (como senhas padrão);
  • ao atingir o tempo médio de vida, além de manter a finalidade funcional básica do dispositivo, deve ser mantido na melhoria de sua confiabilidade e manutenção;
  • já no estágio final, e após um bom tempo de uso, o dispositivo pode ser removido ou substituído com facilidade e segurança caso não valha mais a pena gastar recursos para mantê-lo.
ciclo de vida dos dispositivos

O dispositivo precisa ser acompanhado ao longo dessa jornada para permanecer confiável, eficiente e seguro. E é aqui que a ideia de gerenciamento do ciclo de vida do dispositivo IoT entra em cena. Não é possível dar o tempo exato de duração de determinada mercadoria pelo fato de cada tecnologia apresentar um ciclo de vida único. Apesar disso, é visível que alguns repetem padrões e estimativas bem semelhantes.

Grande parte das inovações apresentam tecnologia de ponta e indicam em algum momento a necessidade de troca pelo tempo de uso e desgaste dele. Apesar disso, é indispensável estar atento com aquilo que se está adquirindo. A obsolescência programada é um termo popularmente conhecido por se tratar da produção de itens com qualidade inferior, para assim, o produto obter duração a curto prazo, tornando estes rapidamente descartáveis e forçando o consumo constante e excessivo.

Gerenciamento do ciclo de vida no setor da Tecnologia da Informação

O gerenciamento do ciclo de vida do dispositivo é considerado um dos mais complicados obstáculos que as equipes de TI tiveram que superar. No mundo dos negócios, estar atento a esse tempo e ao nível de eficiência dos dispositivos é essencial para o sucesso.

Isso porque o tempo das ferramentas que utilizam do IoT podem ser usadas para gerenciar e otimizar centralmente todos os aspectos do ciclo de vida de um dispositivo, incluindo aquisição, inventário, implantação, atualizações de segurança, suporte e administração de fim de vida.

Todo esse processo necessita de certa atenção do departamento da tecnologia da informação, que ajudam a conduzir os investimentos na área. Ao consolidar todas as informações e funções relacionadas ao dispositivo em uma única plataforma, as empresas otimizam suas operações e economizam tempo e dinheiro.

3 dicas para aumentar o ciclo de vida dos dispositivos IoT

A Internet das Coisas está tornando o tecido do mundo ao nosso redor mais inteligente e responsivo, mesclando os universos digital e físico. Resultados bem-sucedidos do ciclo de vida do dispositivo IoT podem ser alcançados por meio de soluções bem gerenciadas.

Confira três métodos preventivos que auxiliam nessa preservação durante o gerenciamento dos dispositivos e os principais benefícios de usá-lo para lidar com dispositivos inteligentes durante todo o seu ciclo de vida.

1. Se atente a segurança do seu dispositivo

A conexão marca o primeiro estágio na vida de um dispositivo conectado à Internet.  Aqui, o dispositivo precisa estabelecer um link de comunicação estável e seguro por meio dos mecanismos de autenticação.

É essencial garantir, através de plataformas e programas a autenticação desses mecanismos, que possuem a capacidade de bloquear quaisquer agentes não autorizados que queiram prejudicar o dispositivo.

2. Acompanhe as atualizações internas

Os aplicativos de IoT podem começar de forma muito simples e se tornar mais maduros e complexos ao longo do tempo. Isso pode exigir não apenas atualizações dinâmicas de software, mas também alterações de configuração sem envolver o usuário ou interromper o serviço.

Um monitoramento básico para entender quando seu dispositivo necessita de atualizações e solução de problemas em geral, sem esforço e em tempo real pode manter seu tempo de atividade e produtividade em altos níveis a longo prazo.

3. Hardwares também apresentam sinais de uso

Os dispositivos com parte física aparentes podem apresentar sinais de desgastes ou mau funcionamento. É importante se atentar a essas falhas de hardware e as vulnerabilidades que estejam atrapalhando o desempenho da tecnologia no geral.

Essa nova onda de conectividade está indo de laptops e smartphones para carros conectados, residências inteligentes, cidades com tecnologia de ponta, entre diversas outras situações atuais. É perceptível que as novidades surgem aceleradamente a cada dia e a renovação de dispositivos em mercado se torna um hábito muito comum.

Com um bom gerenciamento dessas novas tecnologias, você poderá contar com elas por um longo período e maior produtividade.

Publicações relacionadas