fbpx

Planejamento estratégico de TI: o que é e como fazer?

planejamento estratégico de ti

4 de janeiro de 2022

Lidar com o ambiente corporativo significa estar sempre atento às demandas do comércio e atuar integralmente para manter-se atualizado e competitivo. Para compreender como cada força opera no mercado e contar com auxílio para atingir a missão da empresa, o planejamento estratégico é indispensável.

Com o avanço da transformação digital e a ampla utilização de outras ferramentas como Big Data e Inteligência Artificial, a gestão dos processos tecnológicos nos negócios vem ganhando cada vez mais relevância. Agora, mais do que em qualquer outro momento, as empresas precisam construir um plano estratégico de TI para que saibam exatamente como se posicionarão em um mercado altamente competitivo.

Um plano identifica as etapas e estratégias que a empresa usará para atingir seus objetivos. Ele pode ser desenvolvido para todo o negócio, assim como para áreas específicas da organização. Neste artigo, confira porque o planejamento em TI é essencial para o desempenho e o sucesso de uma empresa. Entenda sua importância e conheça algumas dicas fundamentais para desenvolvê-lo.

O que é o planejamento estratégico?

O planejamento estratégico é um processo de gerenciamento utilizado para criar uma série de direcionamentos para atingir um objetivo ou um conjunto de metas. Por meio dele é possível ter uma visão clara das oportunidades do mercado e respostas mais assertivas dos desafios enfrentados.

planejamento estratégico de ti como montar

No setor de TI ele também é conhecido pela sigla PETI (Planejamento Estratégico de TI), ao qual busca constantemente compor as tecnologias de maneira vantajosa ao negócio. Dessa maneira, as ferramentas utilizadas para apoio e otimização de tarefas garantem também o potencial de organizar e preparar a sua empresa para caminhar na direção planejada desde o surgimento da organização.

É por meio do planejamento que a estratégia do departamento de TI se alinha com a missão e valores da empresa e, ao mesmo tempo, é flexível o suficiente para acomodar novas prioridades de negócios e tecnologias com potencial para impulsionar o crescimento da companhia.

Por que o planejamento estratégico em TI é tão importante?

Atualmente, o departamento de tecnologia da informação tem um alto nível de interação e integração com todas as áreas de uma organização e, em função, disso a empresa passa a depender de forma muito significativa dos serviços da equipe de TI.

Dessa forma, com essa crescente transformação do âmbito tecnológico em todos os negócios, é imprescindível pensar na tecnologia como a área primordial para o sucesso, e é a partir desse da priorização desses meios como recurso estratégico para o futuro que o setor de TI também passa a ter um papel vital para o futuro do negócio.

Sua importância se destaca na geração de insights, por exemplo, sobre como reestruturar um negócio para atingir o máximo potencial, desenvolvendo novos produtos, expandindo operações, alcançando novos segmentos de mercado, resolvendo problemas organizacionais, entre outras vantagens, como:

É fato que os recursos tecnológicos são vistos como peça-chave para resultados positivos. Manter o bom funcionamento deles, considerando um planejamento estratégico de TI, é descobrir maneiras de melhorar o desempenho do seu negócio e tornar os produtos, serviços e experiências mais relevantes para o mercado e seus clientes.

5 passos para um planejamento estratégico de TI eficiente

Agora que já sabemos sobre os benefícios que um planejamento estratégico de TI pode gerar para a organização, é hora descobrir como conduzir a elaboração de um PETI. Existem diversas metodologias que podem orientar o gestor de TI nesse processo e, para auxiliar você, listamos seis etapas principais para construir um planejamento eficaz. Confira!

1. Analisar a situação atual da empresa

O processo inicial de um planejamento estratégico se dá pela análise da situação interna da empresa e sua relação com o departamento de TI. A intenção é identificar as dificuldades dos setores em geral, ferramentas que se demonstram ineficientes para a demanda de trabalho atendida, recursos que poderiam ser adotados para maior produtividade de determinadas tarefas, entre outros fatores que são geralmente pontuados por meio desse diagnóstico. Além disso, é essencial voltar essa observação para a equipe de TI em si, pontuar suas vulnerabilidades, nível de satisfação entre os colaboradores, o setor e sua capacidade atual.

2. Definir o objetivo

O segundo passo é fundamental para entender o que a empresa deseja atingir quando as inovações e mudanças iniciarem. A otimização dos processos internos e externos, melhoria na produtividade da equipe, equilíbrio entre a rapidez e a qualidade, aderência de softwares, terceirização de serviços de TI e outros detalhes. Seja a partir de um ou mais objetivos, o planejamento será desenvolvido dessas definições.

3. Levantamento de soluções e estratégias

Ao definir onde sua empresa ou setor deseja chegar, o próximo passo será levantar os recursos necessários para a efetivação do plano. O levantamento de dados e um processo de pesquisa, por exemplo, são fatores fundamentais para entender quais tipos de soluções tecnológicas estão disponíveis e são indispensáveis para o seu negócio. Ficar por dentro das novidades do mercado, melhores fornecedores, preços e condições de contrato podem fazer toda a diferença no momento de traçar um plano estratégico de TI.

Um dos maiores benefícios do planejamento no setor de TI é que ele permite que a otimização de custos da empresa elimine os custos das áreas de desperdício e redirecione esses fundos para investimentos mais valiosos, que serão utilizados nessa seleção de estratégias.

4. Iniciar as ações

Da teoria à prática, esse é um dos pontos que demandam maior atenção. Com as etapas anteriores bem desenvolvidas e pré-determinadas, prioridades precisam ser listadas e acompanhadas do cronograma do planejamento inicial.

Geralmente, a implementação do plano estratégico de TI inclui treinamento, contratação de fornecedor e software, integração de sistemas, aquisição de hardware, entre outros. A fase de execução deve cumprir com as entregas, discutir dependências, trabalhar com a mitigação de risco e tudo deve ser comunicado e alinhado com os grupos envolvidos.

5. Monitoramento constante

Ao final do processo de implantação, é necessário avaliar os resultados e compará-los com os objetivos organizacionais definidos nas fases anteriores. Isso ajudará a determinar se o planejamento e sua implementação foram tão bem-sucedidos. O monitoramento oferece a oportunidade de avaliar o sucesso e criar um ciclo de feedback capaz de mostrar se o planejamento precisa ser revisado, que pode ser alterado com base nos aprendizados obtidos. 

Embora o processo exija atenção total de toda a empresa, ele mantém todos trabalhando juntos para gerar resultados mensuráveis. Permite que as unidades do negócio sejam mais ágeis, autônomas, focadas e responsáveis. Além disso, garante que os investimentos estejam em linha com o que mais importa.

Com um planejamento eficaz, haverá menos obstáculos, o que acelera o posicionamento da sua empresa no mercado e frente aos concorrentes. Vale lembrar que o planejamento estratégico em TI é dinâmico e pode ser alterado, para assim, atingir o objetivo final.

Publicações relacionadas