fbpx

A modernização das empresas levou todo e qualquer tipo de negócio para um cenário de evolução escalável. Hoje, é impossível imaginar certos processos e área sem seus sistemas, softwares e meios de conexão integrados.

Diversas funções do negócio passaram a ter total apoio dos recursos tecnológicos para ganhar tempo e se tornarem mais produtivos. Além disso, não podemos esquecer que alguns serviços e produtos só passaram a existir por causa dos avanços que a digitalização conseguiu trazer.  

Neste contexto, a contabilidade, o home office, o armazenamento de informações e os próprios formatos de comunicação são apenas alguns exemplos de atividades que dependem totalmente da tecnologia. E, muitas dessas possibilidades de uso são proporcionados pelo que chamamos de data center — uma instalação que armazena os equipamentos de rede, máquinas e todos os recursos de TI que dão suporte para a operação de uma organização.  

Já deu para entender a dimensão e a importância deste tema, não é? Então confira aqui todas as informações sobre o assunto! A seguir, descubra o que é um data center, como funciona e qual sua importância para as empresas.  

O que é data center? 

Como definimos anteriormente, um data center ou centro de processamento de dados é um espaço físico equipado e preparado para hospedar a aparelhagem que acomoda as informações de uma empresa. Neste local se encontram todos os equipamentos de armazenamento e processamento de dados, servidores, dispositivos e qualquer outro item que integra e garante o funcionamento das atividades do negócio.

Geralmente, ele armazena e gerencia os componentes mais críticos para a empresa, sistemas considerados vitais para que a organização alcance seus objetivos diários e metas estratégicas.  

centro de processamento de dados pode ser construído em diversos locais e formatos. Isso pode depender do porte da empresa ou da quantidade de equipamentos, recursos e informações que é necessário armazenar. Sua estrutura pode ser adequada a um armário, uma sala ou a edifícios inteiros.

Data centers de empresas como Apple, Google e Microsoft são alguns exemplos dos maiores centros de processamento de dados do mundo, utilizando instalações bilionárias espalhadas por todo o mundo.

Ainda, vale ressaltar a importância das características que ambiente deste sistema precisa ter para manter a boa funcionalidade e integridade da sua operação, como o uso de sistemas de resfriamento, controle de temperatura, além do controle e restrição de segurança para a proteção dos dados. 

Além disso, as organizações precisam considerar localizações estratégicas para a estrutura de um centro de processamento, pois esse é um ambiente que depende de boas redes de energias.

E, neste caso, é preferível optar por fontes independentes, já que grande variedade dos setores econômicos também utilizam o recurso para se manter em funcionamento, como bancos, saúde pública, redes de entretenimento, telecomunicações, entre outros.  

Qual a importância do data center para as organizações? 

No setor de TIos data centers são os recursos de suporte de todas as atividades de uma organização, incluindo todos seus departamentos, produtos, serviços e processos. Um centro de processamentos de dados é importante para manter as funções corporativas em funcionamento e proteger todas as informações, redes, sistemas e máquinas que compõe as operações.

Isso tudo pode incluir e-mails, uso de ferramentas de gestão e relacionamento, banco de dados e ERP (Sistemas de gestão empresarial), Big Data, serviços de colaboração inteligência artificial e muito mais. Contudo, ele pode ser considerado recurso fundamental das tarefas mais simples até as mais complexas.  

Tipos de data center e modelos de uso 

Existem algumas diferentes configurações que podem ir além da sua estrutura física. No geral, eles podem ser categorizados entre Data Center Privado Internet Data Center.  

O primeiro e mais conhecido é uma modalidade de armazenamento privada, com uma estrutura física alocada na empresa e gerenciada pelo seu próprio setor de TI. Ele processa e guarda os dados internos da organização e dá suporte para todas as atividades que dependem de seus recursos de acesso à internet, informações e outras aplicações.

Já o segundo tipo utiliza um provedor externo, geralmente alguma empresa de telecomunicações, como fornecedor dos serviços de conexão. Esses parceiros podem oferecer um vasto portfólio de soluções, das mais simples as mais completas.  

No entanto, você ainda pode encontrar outras variações de nomes para as classificações de acordo com seus modelos de uso, como:  

  • Data center compartilhados — ou data centers de colocation
  • Data center corporativo;  
  • Data center na nuvem;  
  • Data center de serviços gerenciados, entre outros.  

A evolução da infraestrutura gerou as diversas possibilidades de distribuição destes formatos de hospedagem de dados e suporte de conexão. Hoje, muitas dessas opções já são definidas como opções modernas— que é a migração do centro físico para as redes virtuais de hospedagem, pois elas conseguem aceitar uma grande carga de dados, sistemas e aplicativos.

As próprias estruturas de processamento de dados estão conectadas a outras redes de conexão da nuvem, para manter a conexão e o compartilhamento de dados. 

Afinal, como estruturar ou escolher o melhor data center para minha empresa?  

Para pensar na melhor infraestrutura ou escolher um bom data center, você pode ficar atento a alguns detalhes. Assim, pode evitar qualquer risco de perda de informações ou danos financeiros: 

1. Se certifique do uso de todos os componentes principais do data center 

Existem alguns itens essenciais em sua composição, como a estrutura de armazenamento, de rede e os artifícios de computação. Eles serão os principais responsáveis pelas funções de conexão dos sistemas, hospedagem segura dos dados e funcionamento total do centro. Além disso, ele também pode ser composto por firewalls, roteadores, aplicativos controladores e muito mais.  

2. Priorize o fluxo de comunicação  

Dependendo das características de serviços e produto do negócio, para garantir total atividade, o processamento de dados deve funcionar integralmente todos os dias. Por isso, alinhar os níveis de funcionamento e suporte que um provedor externo precisa cumprir é um fator fundamental para a escolha de um data center.  

3. Opere com excelência de processos 

Existem padrões de certificações internacionais que direcionam as boas práticas e processos de funcionamento dos centros de processamento de dados. O ISO/IEC 27001, por exemplo, é a regulamentação que norteia a implementação dos sistemas de gestão e segurança da informação. Por esse motivo, verifique se a sua infraestrutura ou o provedor escolhido se enquadram nessas qualificações.  

4. Tenha orientação especializada e escolha um fornecedor de referência 

Se o seu negócio não conta com profissionais de TI especialistas no assunto ou se a estratégia corporativa é optar pela economia na estrutura, é interessante optar por um parceiro externo. A FindUP é especialista no gerenciamento de estruturas de tecnologia da informação. Além disso, as empresas podem contar com técnicos profissionais em serviços de campo — ou field service — em qualquer região do Brasil.  

No entanto, a maior vantagem em contar com o serviço terceirizado é a orientação especializada. Dessa forma, o seu negócio consegue focar nas demais frentes estratégicas e no core business da organização, enquanto o fornecedor administra todo funcionamento da central de processamento de dados. Também, não esqueça de analisar as referências da empresa contratada, busque por avaliações e verifique detalhes sobre o escopo de trabalho oferecido.