fbpx

Qual a diferença entre manutenção preventiva e corretiva em TI?

manutenção-preventiva

3 de novembro de 2021

A manutenção é um serviço que pode se aplicar a qualquer atividade ou segmento de mercado e, geralmente, esse é um termo bastante atrelado a equipamentos e maquinários. Tendo isso em vista, essa é uma ação de cuidado que pode ser usada na área da beleza, da saúde, no ramo financeiro, no varejo e, principalmente, nas indústrias e corporações.

Independente do setor, a manutenção reúne um conjunto de ações que tem o intuito de conservar algo, seja para aumentar o seu tempo de durabilidade, capacidade de produção ou manter o funcionamento de atividades de forma regular e livre de falhas. Além de tudo, elas podem contemplar diferentes momentos e situações, por exemplo, como no uso da manutenção preventiva e corretiva.

Nas organizações, essa prática pode se estender por muitos setores. E, na visão de uso das tecnologias, os profissionais de TI podem ser alguns dos principais responsáveis pela manutenção dos recursos digitais, como sistemas, computadores e qualquer item que mantenha a rotina da organização. Os maiores benefícios deste serviço estão relacionados à redução de custos, à diminuição de riscos e falhas, e à garantia de que tudo estará em pleno funcionamento na organização.

Nesse sentido, vale entender mais detalhes sobre os tipos de manutenção que a sua empresa pode precisar, não é? É muito comum que gestores tenha dúvidas sobre como utilizar os meios de manutenção da melhor maneira e sabendo que essa é uma aplicação fundamental no dia a dia do negócio, saiba tudo sobre os produtos e técnicas da área — e como elas podem se aplicar a sua empresa. Além disso, compreenda também qual a diferença entre manutenção preventiva e corretiva.

O que é manutenção preventiva?

manutenção-corretiva

A manutenção preventiva é baseada em um cronograma ou sistema de cuidado, ou seja, ela é prevista e executada em intervalos de tempo específicos. Funciona como uma inspeção, a fim de identificar previamente qualquer condição de atenção que sistemas, máquinas ou equipamentos possam ter — como ruídos, lentidão, avarias e outros itens de análise. Considere que a manutenção preventiva respeitará uma ação sistematizada e examinará o objeto de trabalho com frequência.

Esse cuidado prévio não antecipa apenas a identificação de um problema, mas também evita que futuros gastos não previstos sejam gerados. Dessa forma, o investimento e planejamento da manutenção preventiva é uma decisão estratégica, que evita danos graves ou a paralisação das linhas de produção, quedas de sistemas de atendimento ao cliente e falha de muitos outros recursos de trabalho. Acima de tudo, este é um serviço diminui o uso de outras variações de manutenção, como a corretiva.

Mas o que é manutenção corretiva?

A manutenção corretiva, apesar de funcionar de forma parecida à preventiva — e é justamente por este motivo que a diferença entre às duas gera tantas dúvidas —, existe para corrigir os problemas no momento em que estão acontecendo. Resumidamente, ela consiste num serviço não programado e, por vezes, precisando que ações extremas sejam executadas, como a troca de máquinas e peças, cuidados mais prolongados para correção de sistemas, entre outros.

Se a manutenção corretiva acontecer dentro de um ciclo de planejamento da manutenção preventiva ela pode ter impactos financeiros menores e entregar uma solução mais rápida. Mas, se estiver fora do previsto, os custos podem ser altos e não programados, atrapalhando a capacidade produtiva, comprometendo a entrega dos colaboradores, metas diárias e lucro final. Contudo, já deu para ter ideia de que a manutenção corretiva de alta despesa pode ser evitada com a manutenção preventiva.

Qual a diferença entre manutenção preventiva e corretiva?

A manutenção preventiva e a corretiva são as mais utilizadas nas empresas pelos gestores. E, por estarem atreladas uma à outra, é comum que haja dúvidas sobre as diferenças entre as duas. De modo geral, como notado anteriormente, a principal distinção entre elas está no momento em que cada uma é acionada e no objetivo que elas cumprem.

A manutenção preventiva é realizada antes que qualquer problema aconteça, enquanto a manutenção corretiva é feita quando alguma dificuldade já está impedindo o uso de uma máquina, sistema ou recurso de trabalho.

Mas afinal, qual a melhor opção para sua empresa?

Ambas as práticas são importantes para qualquer organização. Uma manutenção fora do planejamento é a única que precisa ser evitada, pois ela tem consequências financeiras não previstas. Dessa forma, a manutenção corretiva sem a preventiva pode representar desperdício de tempo, dinheiro e recursos. No entanto, quando usadas de forma conjunta e organizada, elas evitam que o problema ganhe uma dimensão maior que o esperado ou postergam a vida útil de qualquer recurso.

Imagine que a sua loja enfrente problemas de quedas de sistemas ou paralisação nos maquinários de produção em datas comercialmente importantes para o seu negócio, que geram um alto acréscimo financeiro para o seu caixa. As datas sazonais, como Dia das Mães, Natal, Dia das Crianças, entre outras, movimentam muitos setores da economia, sejam nos bem de consumo, serviços ou varejo.

Manter os recursos de trabalho em pleno funcionamento durantes estes períodos é algo essencial e, neste cenário, é interessante que as companhias contem com programas de manutenção. O setor de TI, por exemplo, deve fornecer toda a capacidade e tecnologia necessária para realizar o monitoramento e análise das máquinas, equipamentos e sistemas, bem como seu conserto em caso problemas.

Empresas especializadas em field service e serviço de manutenção das tecnologias, com a FindUP, oferecem soluções específicas para o planejamento de manutenção preventiva e corretiva das organizações. O produto Check-UP foi desenvolvido para deixar os empreendedores e comerciantes despreocupados, pois ele dispõe de técnicos e infraestrutura de TI especializada para realizar análises regulares e garantir a alta disponibilidade dos recursos no ponto de venda em datas comerciais, bem como o funcionamento eficaz de todos os mecanismos de trabalho na rotina corporativa.

Publicações relacionadas